ACESA Associação Comunitária de Educação em Saúde e Agricultura . Brasil

Acesa Girau do Mearim - Maranhão

Geral


PROJETO PRESERVA E RESGATA SEMENTES CRIOULAS NO MARANHÃO

06/10/2021

Apoiada pelo Programa de Pequenos Projetos da CESE, ONG ACESA fortalece autonomia e soberania alimentar de famílias por meio da reprodução de sementes crioulas

A riqueza cultural e ancestral preservada nas sementes. É esse o significado das sementes crioulas para agricultores e agricultoras do Maranhão, que ao valorizarem e preservarem essa também conservam os saberes de seus antepassados. Apoiada pelo Programa de Pequenos Projetos da CESE, a ONG Associação Comunitária de Educação em Saúde e Agricultura promove uma série de atividades de implantação das sementes, consideradas em extinção, bem como a seleção, tratamento e armazenamento, além de atividades formativas como oficinas, encontros e assessoria técnica até dezembro de 2021.

De acordo com Raimundo Alves da Silva, coordenador executivo da ACESA, a semente crioula representa uma herança de sabedoria. “Elas trazem em si uma riqueza muito grande e uma relação com nossos antepassados. Eles sabiam quais sementes eram as mais propícias para aquele espaço, para o clima. Por isso que para nós, quando alguém guarda a semente dentro de um processo de preservação, manutenção e valorização, essa pessoa se torna uma guardiã da semente. Porque ela guarda todo um saber, que envolve o cultivo com a terra, com o clima e com os outros elementos da natureza” revela o gestor.

 

E esse é o principal motivo pelo qual o projeto fomenta que as pessoas em formação se tornem guardiãs dessas sementes. Além de ter uma relação direta com a terra, com os cuidados e respeito às dinâmicas de cultivo do território, ser guardiã da semente tem relação direta com a manutenção de um conhecimento, transmitido de geração a geração, numa relação familiar e ancestral.

“Nós defendemos muito, aqui na cidade, que cada família possa ter o seu banco familiar de sementes. Que cada família tenha o interesse de desenvolver uma relação no contexto da produção, garantindo a preservação das sementes crioulas, mas acima de tudo garantindo uma preservação da biodiversidade, o que garante produtividade e qualidade no processo produtivo, no respeito às culturas locais” conta Raimundo. [+]


Conteúdo relacionado: Destaque, Geral, Notícias

Relatório de Avaliação Externa da ACESA

16/07/2021

Esse relatório é resultado da avaliação externa do Projeto Agricultura Familiar: Construindo Igualdade (n° 233-134-1010 ZG), implementado, a partir da parceria entre a ACESA – Associação Comunitária de Educação em Saúde e a Misereor, entre maio de 2015 e maio de 2018. Ele foi formatado para atender diretamente 800 pessoas, sendo 40 famílias associadas, em 31 comunidades rurais e 5 Escolas Família Agrícola (EFA`s),  de 10 municípios do Médio Mearim, Maranhão, Brasil, sendo que nessas comunidades vivem aproximadamente 1000 famílias que são indiretamente beneficiadas pela ACESA.

O projeto avaliado tem como meta, o alcance de um leque de mudanças, expressas em 4 objetivos: 1) diminuir as desigualdades nas relações de gênero e geração; 2) contribuir para o acesso das famílias aos programas de políticas públicas de estruturação e comercialização da produção agroecológica; 3) aumentar a produção agroecológica das famílias para o autoconsumo e comercialização; e 4) fortalecer a participação sociopolítica das famílias nos espaços de governança institucional.

Essa avaliação foi orientada por um Termo de Referências acordado entre a ACESA, Misereor e consultor externo contratado, tendo como  objetivo geral  realizar a avaliação participativa da parceria estabelecida entre a ACESA e a Misereor (e ações da parceria com a kindermissionswerk), especialmente a partir dos acordos firmados nos últimos projetos trienais (2018-2021), no sentido de identificar os principais resultados efetivos e os aprendizados gerados, considerando o contexto no qual foram implementados e na perspectiva que eles sejam uteis para o aprimoramento da ações de cooperação para o desenvolvimento.

Leia na íntegra:

>>Relatório Avaliação Externa da ACESA versão Misereor


Conteúdo relacionado: Destaque, Documentos, Geral, Notícias

Série Meu Encontro com Klaus

14/06/2021

Lançamos a série 🎬👥“Um Encontro com Klaus” em celebração aos 35 anos da Acesa e uma homenagem à um pessoa fundamental na nossa trajetória: Frei Klaus. Neste primeiro episódio, Maria Alaídes Alves deixa sua mensagem no vídeo abaixo. Clica no 👥play e confere!


Conteúdo relacionado: Destaque, Geral, Notícias

ACESA comemora em 2021 seus 35 anos

Ao longo da sua trajetória, que brevemente alcançará 35 anos, a Acesa tem provocado grandes transformações no meio de vida local. A partir da sua atuação, muitas famílias foram retiradas do mapa da pobreza, da privação de liberdade, da falta de oportunidades e da ausência de formação política e educacional. Além disso, se constituiu como o principal refúgio e proteção para muitas famílias empurradas de suas terras por pecuaristas que as amedrontavam, destruíam suas casas e produções e as ameaçavam de morte. A Acesa fundada por Frei Klaus Finkan, foi a primeira organização do Médio Mearim a trabalhar a agroecologia junto às famílias da região, por entender que a melhoria de vida também passava por uma produção e alimentação saudáveis. As memórias acerca desse período ainda são presentes nas narrativas das famílias que o vivenciaram e contar sobre ele é um momento libertador da lembrança, além de ser uma forma de torná-las conhecidas e, assim, impedir que caiam no esquecimento. Apesar do importante trabalho desenvolvido, os impactos provocados pela Acesa ainda são desconhecidos. Portanto, queremos nesse período, documentar acerca dela e contribuir para retirá-la do anonimato e dá visibilidade aos seus agentes que continuam resistindo mesmo em contextos tão desafiadores.


Conteúdo relacionado: Geral, Notícias

Relatório Anual da ACESA 2020

25/02/2021

Em tempo, 2020 foi um ano em que as organizações e movimentos sociais muito se articularam ara pensar estratégias coletivas de enfretamento e combate ao COVID 19, no sentido de atender de forma urgente, ágil e rápida os problemas ocasionados. Uma crise social e econômica se instaurou levando o país novamente ao mapa da fome, e essas instituições se articularam construindo estratégias para que as famílias desenvolvessem o autocuidado e produzissem para seu autoconsumo.

Queremos celebrar essas aprendizagens, esta forma de apoiar, sustentar e acompanhar as famílias e suas comunidades, em seu trabalho de resiliência e resistência nos fazendo lembrar “que Dignidade é costume”, como afirma o movimento zapatista. Celebramos o poder das mulheres e juventudes que estão na vanguarda de todos os movimentos sociais e que fazem suas, todas as causas. Celebramos a experiência de quem voltou e semeou, para que hoje sentíssemos mais amor humano e solidariedade. Celebramos a visão, coragem e a esperança de nossos parceiros em rede, nossos financiadores e apoiadores.
Relatório 2020 – ACESA


Conteúdo relacionado: Destaque, Documentos, Geral, Notícias

Violência contra a mulher camponesa ocorre dentro e fora de casa, diz diagnóstico

25/01/2021

Violência dentro e foram de casa. Esta é a situação vivenciada por mulheres rurais no Maranhão. De um lado, a violência doméstica, que muitas vezes é silenciada pelo medo. Do outro, as ameaças de fazendeiros e empresas que as impedem de obter os recursos naturais para a sua sobrevivência. Isso tudo ocorre em um ambiente onde não existem delegacias especializadas para atendimentos a elas, o que leva ao medo e desestímulo para denunciar.

Diagnostico violência ACESA e RAMA
Esta é a conclusão do Diagnóstico da Violência sofrida por Mulheres Rurais no Maranhão, produzido pela Associação Comunitária de Educação em Saúde e Agricultura (Acesa) e a Rede de Agroecologia do Maranhão (Rama) e o GT de mulheres da Rama. A elaboração do diagnóstico contou com o apoio do Fundo de Ações Urgentes da América Latina e Caribe e faz parte da campanha “Com violência doméstica não há agroecologia”, desenvolvido pela Acesa e Rama e GT de Mulheres da Rama.

[+]


Conteúdo relacionado: Destaque, Documentos, Geral, Notícias

Associações agroecológicas lançam campanha de combate à violência contra a mulher no Maranhão

19/11/2020

A relação harmoniosa e respeitosa que as mulheres produtoras rurais desenvolvem com o meio ambiente, por meio da agroecologia, deve ser a mesma nos espaços de luta e nas famílias, principalmente com os companheiros. O alerta é da campanha “Com Violência Doméstica não há agroecologia” que será lançada nesta quinta-feira, dia 19/11, pela Associação Comunitária de Educação em Saúde e Agricultura (Acesa) e a Rede de Agroecologia do Maranhão (RAMA) junto ao GT de Mulheres e com o apoio do Fundo de Ações Urgentes da América Latina e Caribe/FAU-AL.
Serão 30 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres camponesas do Maranhão, sendo desencadeada pelas redes sociais. O lançamento oficial da campanha será feito durante o II Encontro de Mulheres da RAMA, que neste ano acontecerá online, no dia 19 de novembro, no horário das 14h às 16h, pela plataforma do Google meet: https://meet.google.com/wxq-xfda-znd.
A campanha tem como objetivo combater a violência doméstica, visando o enfrentamento às diferentes formas de violências sofridas pelas mulheres nas comunidades rurais de atuação da RAMA e de fortalecer os processos de auto cuidado e proteção as vítimas de violência em suas diversas esferas. [+]


Conteúdo relacionado: Campanhas, Destaque, Geral, Notícias

Associações agroecológicas lançam campanha de combate à violência contra a mulher no Maranhão

17/11/2020


Conteúdo relacionado: Campanhas, Destaque, Geral, Na Imprensa, Notícias

Movimentos sociais apresentam solução emergencial de 1 bi para alimentar população vulnerável

09/04/2020

Mais de 300 movimentos e organizações sociais do campo e da cidade apresentaram hoje ao Governo Federal uma proposta para fortalecimento do Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA), demandando o aporte emergencial de R$ 1 bilhão para esse mecanismo que ganhou relevância na crise do coronavírus. Endereçada aos governos federal, estaduais e municipais, a demanda prevê a mobilização de 150 mil famílias de agricultores, com a aquisição de 250 mil toneladas de alimentos, nos próximos três meses.

Coordenado pelos ministérios da Agricultura e da Cidadania, o PAA viabiliza a aquisição de alimentos da agricultura familiar para abastecimento de populações em situação de insegurança alimentar, incluindo o atendimento a hospitais, quartéis, escolas, restaurantes populares, asilos e outras entidades da rede socioassistencial.

“Nesse contexto da pandemia, é fundamental e urgente o fortalecimento do PAA, que tem a capacidade dupla de apoiar as atividades produtivas na agricultura familiar, ao mesmo tempo que permite o abastecimento e atendimento de famílias em situação de insegurança alimentar”, diz Denis Monteiro, secretário executivo da Articulação Nacional de Agroecologia, que mobilizou, até às 14h de hoje, mais de 300 organizações e movimentos em torno da proposta. [+]


Conteúdo relacionado: Destaque, Geral, Notícias

ACESA lança edital de contratação para Técnico/a de Campo

07/02/2020
A Associação Comunitária de Educação em Saúde e Agricultura – ACESA, torna público edital de contratação com a função de Técnico/a de Campo, para atuar junto as comunidades de atuação, desenvolvendo assessoria e acompanhamento técnico, social, ambiental e cultural com as famílias associadas. O processo de seleção compreenderá as seguintes etapas:
Recebimento de Currículos: 07 a 14/02/2020
Análise dos currículos: 17/02/2020
Entrevista: 20/02/2020
Resultado: 21/02/2020

Segue edital > EDITAL DE SELEÇÃO


Conteúdo relacionado: Destaque, Documentos, Geral, Notícias

Próxima página »

Parceiros Misereor Kindermissionswerk PPP-ECOS Programa Pequenos Projetos Ecossociais
DoDesign Brasil